Gestão de Recursos Humanos Estratégico

Gestores de RH estratégicos: como as mudanças mundiais estão impulsionando a digitalização de processos com o uso de plataformas de inteligência artificial.

Para se manterem competitivas, sustentáveis e gerar bons resultados, as empresas precisam quebrar paradigmas, evoluir e adaptar-se às novas realidades do mercado. Com a turbulência mundial, a necessidade de processos digitais foi intensificada exponencialmente, dentro e fora das organizações. Mesmo as empresas mais tradicionais tiveram que ceder espaço para a introdução de novas práticas e fazer investimentos em inovações tecnológicas. Do outro lado, as empresas que seguem as tendências de mercado tiveram mais tranquilidade para integrar-se às novas rotinas.

Os Profissionais de Recursos Humanos desempenham um papel fundamental nesta evolução, atuando de forma estratégica e conectando todas as áreas para desenvolverem um trabalho mais cooperativo e sincronizado. Responsáveis por fazerem uma gestão eficiente de recursos e custos, manter um bom clima organizacional, impulsionar o desenvolvimento pessoal e profissional, além de tantas outras responsabilidades, sua preocupação com o capital humano aumentou consideravelmente nestes últimos tempos. Garantir o bem-estar e a segurança dos seus colaboradores é sua prioridade número um, indiscutivelmente.

Toda a rotina do setor de RH foi impactada e os gestores precisaram agir rapidamente:

- Reformular, do dia para a noite, processos envolvendo questões de natureza trabalhista e administrativa;

- Incorporar as exigências advindas das mudanças expressivas na legislação (criação de medidas provisórias visando diminuir os impactos da crise no desemprego e garantir a sustentabilidade dos empregadores);

- Promover alterações nas condições de trabalho, como por exemplo a adoção do home office envolvendo gestores, colaboradores, área jurídica e de TI; e

- Propagar uma comunicação interna clara e eficiente por meio de Intranet ou outras ferramentas digitais mais adequadas à realidade de cada empresa.

Além de implementarem todas essas medidas necessárias, também fizeram e fazem ações para promover a relação de confiança recíproca entre gestores e equipe, gerando engajamento, comprometimento, retenção de talentos e assegurando índices de produtividade desejáveis. Fomentando, efetivamente, uma gestão participativa e colaborativa.

E as mudanças continuam com a adoção de uma gestão digital de RH que utiliza ferramentas de automação e softwares de inteligência artificial para realizar atividades rotineiras e burocráticas de forma mais rápida e objetiva, otimizando os processos.

Um exemplo é a utilização de plataformas de recrutamento e seleção digitais, conhecidas como ATS (Applicant Tracking System) que podem traçar o perfil ideal para determinada função, fazer a captação e triagem dos candidatos, aplicar testes técnicos e comportamentais para avaliação de perfil, além de analisar e selecionar os mais aptos por meio de indicadores gerados pelo sistema.

O próximo passo é a Entrevista On-line dos candidatos selecionados e, ao ser aprovado, a tecnologia segue oferecendo subsídios para a admissão e integração remota: o novo colaborador pode fazer o upload dos documentos pessoais, assinar digitalmente o contrato de trabalho e conhecer a nova cultura organizacional por meio de uma plataforma educacional virtual e/ou com o apoio de equipes multidisciplinares totalmente on-line.

Todo este cenário potencializou algumas tendências:

1- Novas formas de trabalho com contratos, regras e jornadas mais flexíveis;

2- Remanejo de áreas, cargos e benefícios;

3- Formulação de processos cada vez mais digitais;

4- Continuidade do trabalho remoto;

5- Crescimento do empreendedorismo;

6- Aprendizado constante (lifelong learning);

7- Cultura organizacional mais humanizada;

8- Protagonismo da carreira nas mãos do profissional;

9- Pessoas com propósito de vida mais definido; e

10- Busca de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

O prefixo “re-” (reinventar, reformular, reprogramar) se transformou em uma constante e este Mundo M.U.V.U.C.A (Meaningful, Universal, Volatility, Uncertainty, Complexity and Ambiguity) é uma realidade e veio para ficar.

Diante de todo esse cenário, é essencial que as empresas assimilem estas mudanças rapidamente e que os gestores de recursos humanos extraiam o melhor de seus colaboradores para que eles atinjam seu pleno potencial, gerando negócios de valor e criando impacto positivo em seus clientes.

Margarete Rocha Margarete Rocha Diretora Associada